Muito prazer, eu sou o Fígado

Em janeiro eu me propus a publicar 1 texto por mês para trazer uma perspectiva diferente sobre a saúde e o corpo. Talvez você já conheça algumas destas ideias, talvez não. Talvez ache que estou saindo do quadradinho, mas… quer saber? Estou mesmo!

Os órgãos, glândulas e sistemas do corpo não executam apenas funções fisiológicas, eles carregam uma inteligência própria e se relacionam com o nosso emocional e com o ambiente ao nosso redor. O corpo é incrível!

Eu não proponho que descartemos o que aprendemos na escola, esse conhecimento é riquíssimo e super importante, mas definitivamente podemos acrescentar este ponto de vista que os livros não nos ensinaram. Então abra sua mente, encontre uma posição confortável, e divirta-se!

Vamos começar esta série falando sobre o gerente-geral do corpo: o FÍGADO.

Primeiro, respira fundo – …inspira… e …expira… – e coloca uma das suas mãos sobre o estômago. Coloca mesmo, fisicamente, esteja onde você estiver. Nada de imaginar a mão sendo colocada lá. Agora vai deslocando a mão levemente para a direita, só um pouquinho, até sentir suas costelas sob a palma da mão. Pronto, você está tocando seu fígado.

Espera alguns segundos para seu cérebro entender que debaixo da sua mão, por dentro da pele, está um órgão que você nunca viu pessoalmente mas que está trabalhando 24h por dia desde que você nasceu. Agora respire profundamente mais uma vez e sinta o movimento… ele se encaixa logo abaixo do diafragma e a respiração completa e profunda faz uma massagenzinha que o mantém ativo e satisfeito.

Eu vou dar mais uma informação para você conseguir visualizar melhor como ele é: o fígado tem uma coloração marrom avermelhada e pesa entre 1,2kg e 1,5kg (um pouco mais leve nas mulheres que nos homens). Ou seja, ele pesa mais do que o saco de arroz que a gente compra no mercado. Não é pouca coisa!

Deu para ter uma ideia? Então olha ele aqui:

Muito prazer, eu sou o Fígado - O fígado executa muitas funções diferentes. Ele é multitarefas, como a maioria de nós hoje em dia, o que significa que é ele quem fica sobrecarregado quando nos entupimos de atividades. Eu gosto de imaginá-lo como um super gerentão, daqueles que conhecem a empresa inteira e conseguem mediar as tarefas de todos os departamentos. E como ele faz isso? Clique para saber! - verenakacinskis.com

O fígado executa muitas funções diferentes. Ele é multitarefas, como a maioria de nós hoje em dia, o que significa que é ele quem fica sobrecarregado quando nos entupimos de atividades. Eu gosto de imaginá-lo como um super gerentão, daqueles que conhecem a empresa inteira e conseguem mediar as tarefas de todos os departamentos. E como ele faz isso? Pelo sangue, que é o meio de comunicação que ele utiliza para conversar com as outras partes do corpo.

O fígado recicla as nossas emoções. Todo mundo sabe que o fígado tem a função de desintoxicar o organismo. Ele possui um grupo de células equipadas para desativar e decompor as toxinas que fariam mal se fossem enviadas para qualquer outra parte do corpo. Ele faz isso para que as toxinas possam ser eliminadas pelos rins, pele, sistema linfático e pulmões sem causarem danos a esses órgãos e sistemas.

No nível emocional, ele faz a mesma coisa com as emoções. O fígado saudável ajuda a processar a preocupação, a raiva, o medo, a tristeza e o pesar antes que comecem a nos intoxicar. Mas se ele está ocupado tentando lidar com o combo Big Mac + batata frita + Coca-Cola da refeição anterior, ele acaba armazenando grande parte dessas substâncias (e das emoções) porque não consegue lidar com tudo isso de uma vez.

As emoções são substâncias também, fabricadas no cérebro, e circulam pelo corpo o tempo todo. Mas se ficam acumuladas, elas também intoxicam o organismo. Ingerir o mínimo de toxinas possível (fast food, álcool em excesso, alimentos artificiais, agrotóxicos) libera o fígado para lidar com a limpeza do corpo e do nosso emocional.

O fígado participa na organização e planejamento. O intestino delgado digere o bolo alimentar que vem do estômago e envia os nutrientes em sua forma “bruta” para o fígado. O intestino sabe absorver muito bem, mas não sabe sintetizar. Só o fígado, que tem a visão maior do corpo, que conversa com todo mundo e envia substâncias para o corpo todo, sabe o que cada parte do corpo está fazendo e o quanto de proteínas, vitaminas, energia cada uma está precisando para realizar suas tarefas. Tá vendo o gerente-geral em ação?

As células do fígado removem do sangue a matéria-prima que vem do intestino delgado, alteram sua estrutura para transformá-la em substâncias úteis, e armazenam esse produto final para ser distribuído quando o organismo precisar. Esse processo de síntese de nutrientes é muito elaborado e corresponde ao que a gente faz todas as noites quando nos deitamos na cama e revemos as conquistas, obstáculos ou as tarefas incompletas do dia, e nos planejamos para o dia seguinte.

Se o fígado está saudável, esse processo flui e conseguimos utilizar o que aprendemos naquele dia para fazer o planejamento do dia seguinte. Insônia, indecisões, solidão e irritabilidade durante a noite são sinais de algum desequilíbrio no fígado. E sabe quando você acorda às 2h da manhã e a cabeça não para de funcionar? Pode ser o seu fígado sobrecarregado que não consegue se organizar com calma.

O fígado gera a raiva. Mas isso é bom! Todas as emoções são saudáveis e importantes, inclusive a raiva. A raiva saudável não é agressiva e destruidora. Pelo contrário, ela traz mudança, ação, energia, exatamente como a bile quando chega no intestino delgado. O fígado produz de 600 a 900ml de bile por dia, que é armazenada pela vesícula biliar para ser enviada ao intestino delgado quando necessário. A bile quebra as moléculas de gordura no intestino, já que o estômago não sabe digeri-las, e esse movimento saudável de quebra e transformação movimenta os nutrientes.

Um fígado saudável produz bile e raiva saudáveis e adequadas. Infelizmente nossa cultura nos ensina que a raiva é negativa, e por isso acabamos reprimindo essa emoção ou a expressamos de formas inadequadas. Ambos os casos afetam a saúde do fígado.

O fígado atua na nossa proteção e limites. Um grupo de células presentes no fígado consegue reconhecer e capturar microorganismos. Elas fazem parte da extensa rede de defesa imunológica desse órgão e são responsáveis por prender bactérias ou outros microorganismos que transmitem infecções.

Essa função fisiológica, quando ampliada para a nossa vida, corresponde à nossa capacidade de reconhecer os invasores externos (pessoas e situações tóxicas ou maléficas), e mantê-los fora de nossos limites. Aqui a raiva (sempre em sua forma natural e saudável), também é essencial, pois ela é a energia que diz “Não!” e afasta o que não deve se aproximar. A habilidade de manter um limite saudável entre o nosso espaço e o espaço do outro, sem invadir nem ser invadido, está ligada com a saúde do nosso fígado.

O fígado é um órgão de planejamento, organização, movimento e ação. Ele é inteligente, observador e está em contato com as necessidades de nutrientes e energia do resto do corpo. A energia saudável do fígado ajuda nosso planos a se realizarem de forma organizada, prazerosa e sem gasto excessivo de energia. O parceiro natural dele é a vesícula biliar, tema do próximo post e órgão fundamental na tomada de decisões e na expressão da raiva gerada pelo fígado. Nos vemos no mês que vem!

Referências bibliográficas 

GALIPO, Janet & WERNER, Nancy. Manual San Baio: os três tesouros. 2014
LIPTON, Bruce. A biologia da Crença. Ed. Butterfly, 2005.
MARIN, Giles.Os cinco elementos e as seis condições. Ed. Cultrix, 2010.
PERT, Candace. Molecules of emotion: the science behind mind-body medicine.Ed. Touchstone, 1999.
http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/o-figado/
http://www.todabiologia.com/anatomia/figado.htm
http://super.abril.com.br/ciencia/irmaos-de-sangue-rins-e-figado


Leia os outros textos da série Muito prazer, eu sou o seu Corpo.

Inscreva-se para receber a newsletter com textos exclusivos e lançamentos do site.


: Imagem criada para esta série pela Raquel Salaro :