Muito prazer, eu sou a Vesícula Biliar

Neste segundo post da série Muito prazer, eu sou o seu corpo, vou te apresentar para a VESÍCULA BILIAR, parceira importante do fígado e catalisadora de mudanças na nossa vida.

Mas antes, vamos entrar em contato com ela. Pensa nesta série de textos como uma experiência sensorial. Nós não conseguimos enxergar nossos próprios órgãos, e eu acho que é por isso que abusamos tanto de nossa saúde. Mas a cada mês eu vou te propor alguns movimentos, algumas visualizações, e você vai me seguindo, bem do seu jeito. Assim cada órgão vai ficando mais palpável, mais real.

Então vamos lá. Se ajeita na cadeira, arruma a sua postura e coloca a mão de novo do lado direito do seu abdômen, logo abaixo do diafragma. A vesícula biliar está bem aí, atrás do fígado. Ela é pequena, mede de 7 a 10 cm de comprimento, mais ou menos. Para você ter uma noção de quanto é isso, junta os 4 dedos da sua mão. A sua vesícula tem mais ou menos o tamanho da distância que vai do canto externo do dedinho até o canto externo do seu dedo indicador.

Coloca a mão no abdômen de novo e mentaliza ela lá, no formato de pera e uma cor verde-escuro que eu acho bem bonita. Não é que o tecido dela seja verde, mas ela vive cheia de bile, que é um líquido amarelo esverdeado produzido pelo fígado.

Olha ela aqui:

Muito prazer, eu sou a Vesícula Biliar - A vesícula é o órgão que catalisa o movimento no corpo e na vida. Ela faz acontecer. Para ajudar o fígado, o gerente super antenado que planeja e organiza as tarefas futuras, a vesícula vive mais no presente, colocando limite no excesso de planejamento do fígado e fazendo os planos se concretizarem. Clica para conhecer mais!

A vesícula é o órgão que catalisa o movimento no corpo e na vida. Ela faz acontecer. Para ajudar o fígado, o gerente super antenado que planeja e organiza as tarefas futuras, a vesícula vive mais no presente, colocando limite no excesso de planejamento do fígado e fazendo os planos se concretizarem.

Fisiologicamente, a vesícula biliar tem a função de armazenar e concentrar a bile. A bile sai do fígado e chega na vesícula bem diluída. Enquanto fica ali esperando o momento certo para ser liberada no intestino delgado, a bile vai ficando mais e mais concentrada, já que o tecido da parede interna da vesícula absorve a água da bile.

A vesícula fica guardando a bile até a hora em que o alimento sai do estômago e entra no intestino delgado. Nessa hora, ela recebe um sinal hormonal e decide liberar o líquido no intestino para ajudar a quebrar e digerir as gorduras que consumimos.

Quando eu comecei a estudar o corpo humano sob esta perspetiva mais integrada, inicialmente não dei muita importância para o papel emocional da vesícula biliar. “Armazena, concentra e libera a bile. Parece bem simples”. Hoje, depois de ter observado e ajudado a equilibrar as funções deste órgão em dezenas de pacientes (e em mim mesma), minha opinião mudou bastante.

A vesícula biliar gerencia a nossa raiva. E isso é muito, muito importante! A raiva tem má fama, mas é uma das emoções mais importantes da nossa psique, porque movimenta, muda, quebra padrões. Pense nas situações da sua vida em que você precisou chegar no limite do incômodo ou da frustração para conseguir terminar um relacionamento, sair do emprego, começar aquele projeto parado.

Quando você diz “Já deu!! Preciso fazer isto acontecer!”, é a energia de raiva que está se manifestando para você se movimentar. Quando a vesícula armazena a bile até que ela tenha a concentração certa para sair na hora certa, ela está gerenciando a quantidade certa e o momento certo de manifestarmos a energia de raiva que vai nos fazer sair do lugar.

A vesícula biliar também nos ajuda a tomar decisões. Quando saudável, a energia da vesícula estabelece uma personalidade com coragem, iniciativa e habilidade de tomar boas decisões e fazer bons julgamentos. É a raiva/bile bem gerenciada, com foco e direcionamento, que sai para alcançar uma meta e depois se recolhe de novo para se concentrar no próximo objetivo. Ela serve como catalisador para implementar os planos do fígado.

Entre os problemas que podem afetar este órgão, o mais comum é a formação de pedras. Fisiologicamente, as pedras da vesícula se formam devido a uma combinação de pouca hidratação, alimentação inadequada e fatores genéticos. Mas do ponto de vista psíquico-emocional, eu entendo as pedras como energia parada, raiva estagnada, cada pedrinha representando uma possibilidade que não tivemos força ou coragem para concretizar, um movimento que não realizamos.

Mesmo quem já não tem a vesícula biliar fisicamente presente no corpo, continua carregando essa inteligência de tomada de decisões, coragem e movimento dentro de si. O corpo é um organismo muito inteligente e com uma capacidade de adaptação incrível. Quando a vesícula precisa ser retirada, os dutos pelos quais a bile é transportada acabam assumindo a função de armazenar o líquido, e dessa forma a dinâmica de liberação da bile não fica tão prejudicada.

A vesícula, portanto, corresponde à nossa capacidade de medir a energia que precisamos para mudar o nosso mundo sem destruirmos o que prezamos. Ela possui a inteligência de usar a raiva na medida certa. Sua principal função é a de nos dar coragem para mantermos os planos em movimento e confiança para tomar as decisões certas.

Do ponto de vista fisiológico, a melhor forma de cuidar dela é manter o corpo hidratado e cuidar da alimentação, consumindo poucas quantidades de gordura em cada refeição e focando a dieta em alimentos ricos em fibras, vegetais, cereais integrais, frutas. Mas eu vou um pouco além dessa ideia e sugiro que estejamos também atentos aos nossos desejos e emoções.

Para fazermos a nossa parte e oferecermos à vesícula biliar as condições que ela necessita para estar saudável, precisamos honrar a nossa vontade de mudança, fazer escolhas coerentes com nossos desejos, nos livrar dos comportamentos, ambientes, pessoas tóxicas que nos rodeiam, e deixar a nossa raiva se manifestar quando necessário, colocando limites, abrindo caminhos e quebrando os padrões antigos para que os novos possam se instalar.

Referências bibliográficas

ELSON, Kapit & ELSON, Lawrence. The Anatomy Coloring Book. Ed. Pearson, 2014
MARIN, Giles.Os cinco elementos e as seis condições. Ed. Cultrix, 2010.
VELTHEIM, John. Medicina Oriental: Anatomia e Fisiologia do Corpo Energético. PaRama LLC, 2013
http://drauziovarella.com.br/corpo-humano/vesicula/
http://www.todabiologia.com/anatomia/vesicula_biliar.htm
http://www.healthline.com/human-body-maps/gallbladder
http://www.onegreenplanet.org/natural-health/foods-to-eat-and-to-avoid-to-take-care-of-your-gallbladder/


Leia os outros textos da série Muito prazer, eu sou o seu Corpo.

Inscreva-se para receber a newsletter com textos exclusivos e lançamentos do site.


: Imagem criada para esta série pela Raquel Salaro :