Categoria “Relacionamentos”: O que você vai encontrar nesta seção

Categoria Relacionamentos - Compilados sob este tema você vai encontrar textos que discutem as belezas e agonias dos relacionamentos sob a ótica do que nós podemos fazer para lidar com eles, com sugestões de pequenas práticas que podemos implementar para sair da sensação de impotência e começar a mudar o que nos incomoda. :: verenakacinskis.com

Se você parar para analisar, provavelmente vai perceber que a maior parte das chateações que tem durante o dia são resultado de algum conflito com alguém, muitas vezes alguém que você gosta muito.

Eu tenho fascinação por esse assunto! Como pode algumas vezes ser tão difícil, cansativo, desesperador, irritante conviver com as pessoas que a gente mais ama? “Lidar com pessoas é muito difícil”, eu ouvia quando comecei a trabalhar como caixa no Banco do Brasil. Mas essa é a beleza da coisa… cada chateação é um super convite e oportunidade de crescimento.

Vocês já sabem que eu gosto mesmo é de trazer soluções para os problemas, coisas práticas que nós podemos fazer para sermos mais tranquilos, mais leves, menos estressados. E é claro que isso passa, também, por termos menos chateações com as pessoas.

A ideia não é deixarmos de ter conflitos. Nem acho que isso seja possível. Vira-e-mexe alguma coisa vai continuar incomodando, dando uma raivinha básica, ou nos deixando chateados. Mas quando a gente percebe qual é a nossa parte, o problema deixa de ser tão pesado, tão irritante, tão desesperador.

A gente já falou aqui sobre a dificuldade de lidar com as diferenças. Sejamos sinceros, vai? Às vezes a gente tem vontade de esganar o outro! O que causa esse desconforto é a sensação de que não podemos fazer nada, a impotência. E a impotência surge quando a gente acha que o problema está do lado de fora, no outro, sempre no outro. E isso não poderia estar mais longe da verdade. Pensando bem, é claro, c-l-a-r-o, que se nós estamos envolvidos no conflito, tem alguma coisa nossa lá.

Tem uma coisa muito, muito legal que acontece quando a gente enxerga a nossa parte de responsabilidade nos problemas que nos envolvem… eles, de repente, deixam de ser problemas! Viram dados, situações palpáveis que podemos resolver de forma prática. É lindo, é libertador. Eu adoro fazer esse exercício, e acho ainda mais incrível poder ajudar meus pacientes e fazerem também. Chamo isso de desenvolver a auto-observação.

Pode ser que você esteja lendo e pensando “mas no meu caso, tenho certeza de que eu não tenho culpa. Ele que é muito desorganizado/irresponsável/chato/etc!”. Ou qualquer coisa nessa linha.

Não é bem assim. Mas é difícil mesmo perceber o nosso lado quando estamos super envolvidos ou cansados daquela situação. É para isso que existe a categoria “Relacionamentos” aqui no site.

Compilados sob este tema você vai encontrar textos que discutem as belezas e agonias dos relacionamentos sob a ótica do que nós podemos fazer para lidar com eles, com sugestões de pequenas práticas que podemos implementar para sair da sensação de impotência e começar a mudar o que nos incomoda.

Assim vamos desenvolver nossa habilidade de auto-observação para sermos mais autônomos, porque lidar com pessoas pode até ser difícil, mas também é uma das coisas mais legais que a gente faz na vida.


:: foto isaac hesed ::